Fligê 2017 foi um grande sucesso!

Cerca de quatro mil pessoas prestigiaram as mais de 50 atividades desenvolvidas durante os quatro dias da 2ª edição da Feira Literária de Mucugê, ocorrida de 10 a 13 de agosto, nos munícipios de Mucugê e Andaraí.

O tema do evento “Somos paisagens do sertão em rotas de composição” se fez presente nas conferências, nas palestras, nas exibição de filmes durante a Fligecine, nas contações de histórias para o público infantil da Figezinha, nas conversas e bate-papos com escritores e escritoras, nas obras expostas nos estandes do Calçadão Literário, nas leituras guiadas, nos concertos lítero musicais e na exposição “Canudos – A Terceira Margem”.

O secretário estadual de Cultura, Jorge Portugal, mencionou a quantidade de festas e feiras literárias existentes na Bahia: Flica, Felisquié, Fligê e, agora, a Flipelô, abarcando seu desejo em realizar, se fosse possível, eventos dessa natureza nos 417 municípios da Bahia.

“Um evento como a Fligê é fundamental para o atual momento que vivemos em nosso país”, afirmou a escritora e professora Dulce Moreira. O escritor Zack Magiezi também gostou do que viu na programação da Fligê: “É muito legal ver o que estão fazendo aqui, essa mistura de temas, esse incentivo à literatura”, disse.

“A feira traz a literatura à Chapada, mostrando, principalmente aos jovens e crianças, a importância da leitura”, resumiu o artista visual Marcos Zacaríades, responsável pelo Museu Galeria Arte & Memória, onde aconteceu parte da programação ocorrida na vila de Igatu, em Andaraí.

“A Fligê se destaca nesse momento por rememorar os 120 anos da Guerra de Canudos, pois, ainda não houve no Brasil nenhum movimento grande sobre o tema. A Fligê é o primeiro a falar”, comemorou o escritor Aleilton Fonseca.

A Fligê contou ainda com a participação da escritora mucugeense Helena Elza Medrado, do menestrel Elomar Figueira Mello, do Quinteto de Cordas da Orquestra Castro Alves/Neojiba, dos cineastas Alba Liberato e Chico Liberato, da atriz e escritora Ingra Lyberato, do jornalista Emiliano José, de professores e pesquisadores da Uesb e da Uneb, além de dezenas de escritores e artistas de várias partes do Brasil.

CONTINUA EM 2018 –  No último dia da programação, o Coletivo Lavra anunciou que já tem garantido parte dos recursos para a realização da terceira edição em 2018. “Precisamos assumir o compromisso de cada um sair daqui como ativistas da leitura. A segunda edição foi melhor e maior que a primeira. Queremos fazer a terceira Fligê ainda melhor. Nos despedimos com um até logo, Mucugê!”, declarou a curadora da feira, Ester Figueiredo.

Realizada pelo Coletivo Lavra, em parceria com a Prefeitura de Mucugê e o Instituto Incluso, o sucesso da Fligê se deu pela soma de mais de cem pessoas que se dispuseram a colaborar e pelo papel importante de cada apoiador: Ministério da Cultura (MinC), Governo do Estado da Bahia – Terra-Mãe do Brasil, Rede Bahia, LDM (Livraria Multicampi), Colégio Opção, Fainor e Café Mucugê.

Fotos: Vinícius Brito