Terceira edição da Fligê é das mulheres

Lançamento aconteceu nesta sexta (11), em Vitória da Conquista, para imprensa e parceiros

Como quem pede uma benção, versos do poema “Meia lágrima” de Conceição Evaristo ecoaram pela sala do Museu Regional de Vitória da Conquista na manhã desta sexta-feira (11). Estava começando o lançamento da terceira edição da Feira Literária de Mucugê – Fligê, para imprensa, instituições, parceiros e outros convidados.

A antiga casa de Henriqueta Prates foi então tomada pela voz de Yanna Gusmão e o violão de Alex Lacerda, como quem escreve uma epígrafe. Os versos de “Maria do Socorro” e “Triste, louca ou má” deram o tom: a temática da feira neste ano coloca a mulher no seu devido lugar, o de protagonismo.

“Por meio de uma homenagem a um coletivo de mulheres e à escrita feminina que vamos tecer uma grande programação em encontro a tudo o que a gente quer expressar, que precisa mudar, que precisa ampliar no sentido de direitos da mulher”, destacou a professora Ester Figueiredo, curadora da Fligê. “A nossa programação atende a diferentes idades e em diferentes espaços de Mucugê”.

O Ano III da Fligê acontece de 16 a 19 de agosto, com o tema “Literatura e resistência: a vida nos rastros da palavra”, numa cidade de quase 10 mil habitantes, que desde 2016 se envolve com a palavra escrita ou não, em suas diversas formas. “Esse tema vem para discutir a palavra e a palavra ela é feminina, é música, é poesia. A palavra resiste a tudo, porque palavra é, sobretudo, memória”, resumiu a coordenadora pedagógica, Lana Sheila. “A comunidade já está fazendo uma participação brilhante, vem aí um trabalho magnífico”, completou.

Para o deputado federal Waldenor Pereira, “a expectativa é que nesta terceira feira ela se consolide como uma das mais importantes feiras culturais da Bahia. Já em face da sua consolidação e do seu reconhecimento, a organização tem recebido várias propostas de escritores com interesse em participar da programação, o que tem sido um desafio”.  

O lançamento também contou com a presença do deputado estadual José Raimundo Fontes e do reitor eleito da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), Luiz Otávio Magalhães. “A nossa participação tem levado uma edição, da Editora Alba, para lançamento e distribuição aos presentes”, lembrou o deputado José Raimundo sobre a parceria com a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), que continua em 2018.

Realizada pelo Coletivo Lavra, a Fligê tem o apoio de emendas parlamentares dos deputados federais Waldenor Pereira (PT) e Jean Wyllys (PSOL) por meio do Ministério da Cultura, do Governo do Estado da Bahia e de parceiros locais do município de Mucugê.

PROGRAMAÇÃO – Ao longo dos quatro dias de programação, habitantes e turistas da Chapada Diamantina têm a oportunidade de participar de conferências, rodas de conversa, lançamento de livros, oficinas, leituras performadas, contação de estórias e também de ter contato com outras linguagens artísticas como a música, o cinema, a fotografia e as artes plásticas.

Alguns nomes confirmados foram anunciados durante o lançamento. Confira!


Galeria de Fotos